A Idade de Ouro de Luis Buñuel
L’Âge d’Or
1930 - França - Data de estreia: 12-07-2019
Com: Lya Lys, Gaston Modot, Max Ernst, Pierre Prévert, Caridad de Laberdesque, Germaine Noizet, Duchange, Joseph Albert

Numa ilha deserta vivem escorpiões e bandidos, ao pé de esqueletos de bispos deixados ao sol. Um cortejo oficial desembarca na ilha, para celebrar o lançamento da primeira pedra da Roma imperial. A cerimónia é perturbada por um casal que se abraça e rola na lama. O homem é preso mas foge, reencontrando a amada numa festa. Enquanto isto acontece, no castelo de Selliny Cristo parece satisfeito por participar nas cerimónias dos Cento e Vinte Dias de Sodoma.

Folha de Sala / Dossier de Imprensa

Biografia do realizador:

LUIS BUÑUEL (Calanda, Espanha, 1900 — Cidade do México, 1983), cineasta e escritor, foi considerado o primeiro a realizar um filme inteiramente surrealista, escrito e realizado em conjunto com o pintor Salvador Dalí, e que seria o seu primeiro filme, UN CHIEN ANDALOU (1929). UN CHIEN ANDALOU só seria possível devido a dinheiro emprestado pela sua mãe. Mas antes de experimentar o trabalho de realização, já tinha pisado os terrenos do cinema quando, no início dos anos 20, trabalha em Paris como assistente do realizador Jean Epstein. 
Segundo Octavio Paz, o trabalho de Buñuel é “o casamento entre a imagem fílmica e a imagem poética, criando uma nova realidade… escandalosa e subversiva”. 

Horários:
Info:

Género: Comédia, Drama
Duração: 1h 02min
Classificação: M/12

Ficha Técnica:

Realização: Luis Buñuel
Argumento: Luis Buñuel, com a colaboração de Salvador Dalí
Direcção de Fotografia: Albert Duverger
Décors: Pierre Schildknecht e Serge Pimenoff
Música: Georges Van Parys, excertos da Gruta de Fingal e da Sinfonia Italiana de Mendelssohn, do Ave Verum de Mozart, da 5ª Sinfonia de Beethoven, de O Mar de Debussy, de fragmentos do Siegfried e Tristão e Isolda de Wagner, de um “paso-doble” e de tambores de Calanda.
Som: Peter Paul Brauer
Montagem: Luis Buñuel