Filmes em Exibição

Voltar
A Idade de Ouro de Luis Buñuel
L’Âge d’Or
1930 - França - Data de estreia: 12-07-2019
Com: Lya Lys, Gaston Modot, Max Ernst, Pierre Prévert, Caridad de Laberdesque, Germaine Noizet, Duchange, Joseph Albert

Numa ilha deserta vivem escorpiões bandidos, ao pé de esqueletos de bispos deixados ao sol. Um cortejo oficial desembarca na ilha, para celebrar o lançamento da primeira pedra da Roma imperial. A cerimónia é perturbada por um casal que se abraça e rola na lama. O homem é preso mas foge, reencontrando a amada numa festa. Enquanto isto acontece, no castelo de Selliny Cristo parece satisfeito por participar nas cerimónias dos Cento e Vinte Dias de Sodoma.

Folha de Sala / Dossier de Imprensa

Biografia do realizador:

LUIS BUÑUEL (Calanda, Espanha, 1900 — Cidade do México, 1983), cineasta e escritor, foi considerado o primeiro a realizar um filme inteiramente surrealista, escrito e realizado em conjunto com o pintor Salvador Dalí, e que seria o seu primeiro filme, UN CHIEN ANDALOU (1929). UN CHIEN ANDALOU só seria possível devido a dinheiro emprestado pela sua mãe. Mas antes de experimentar o trabalho de realização, já tinha pisado os terrenos do cinema quando, no início dos anos 20, trabalha em Paris como assistente do realizador Jean Epstein. 
Segundo Octavio Paz, o trabalho de Buñuel é “o casamento entre a imagem fílmica e a imagem poética, criando uma nova realidade… escandalosa e subversiva”. 

Info:

Género: Comédia, Drama
Duração: 1h 02min
Classificação: M/12

Ficha Técnica:

Realização: Luis Buñuel
Argumento: Luis Buñuel, com a colaboração de Salvador Dalí
Direcção de Fotografia: Albert Duverger
Décors: Pierre Schildknecht e Serge Pimenoff
Música: Georges Van Parys, excertos da Gruta de Fingal e da Sinfonia Italiana de Mendelssohn, do Ave Verum de Mozart, da 5ª Sinfonia de Beethoven, de O Mar de Debussy, de fragmentos do Siegfried e Tristão e Isolda de Wagner, de um “paso-doble” e de tambores de Calanda.
Som: Peter Paul Brauer
Montagem: Luis Buñuel