Atrás do Espelho de Nicholas Ray
Bigger than Life
1956 - EUA
Com: James Mason, Barbara Rush e Walter Matthau

Filmado em CinemaScope, ATRÁS DO ESPELHO (1956) é o filme em que James Mason tem um dos papéis da sua vida.  Um filme sobre um homem cuja estabilidade social e familiar entra em desagregação devido à crescente dependência de medicamentos e drogas. Mason (que produziu o filme) e Ray compõem um admirável (e muito adulto) retrato de uma personagem atormentada num filme “muito maior que a vida”. ATRÁS DO ESPELHO é considerado por Jean-Luc Godard um dos dez melhores filmes sonoros americanos de sempre.

“O uso que Ray faz do formato CinemaScope e da cor para delinear os sonhos e descontentamentos do herói raramente foi tão pertinente.” Jonathan Rosenbaum

“Abre a caixa de Pandora das emoções primitivas e do desejo anti-social, confrontando os espectadores com as dimensões mais obscuras do heroísmo de Hollywood.” Film Comment

“O guião apodera-se brilhantemente de uma premissa realista para reflectir sobre a loucura e crueldade ocultadas no interior da América (….) Este filme é excepcional, notável pela sua seriedade e ousadia.” The Guardian ★★★★

“O seu [de Nicholas Ray] filme de Hollywood mais perturbador.” Jonathan Rosenbaum

“Se o cinema deixasse de existir, Nicholas Ray, sozinho, dá a impressão de poder reinventá-lo e, mais do que isso, de o querer.” Jean-Luc Godard, Cahiers du Cinéma nº 68

 

Festivais e Prémios:

Festival Internacinal de Cinema de Veneza 1956 – Em Competição

Biografia do realizador:

Conhecido sobretudo por “Fúria de Viver”, o mais famoso dos três filmes protagonizados por James Dean, Nicholas Ray é respeitado por várias gerações de cinéfilos, que apreciam a diversidade e qualidade de todas as suas obras. De clássicos de género como o western Johnny Guitar (1954) protagonizado por Joan Crawford ou o noir Matar ou Não Matar (1950), protagonizado por Humphrey Bogart e Gloria Grahame ou ATRÁS DO ESPELHO (1956), um drama protagonizado por James Mason, Barbara Rush ou Walter Matthau, ao seu trabalho mais experimental no final da sua carreira, o trabalho de Ray é no seu todo inesquecível.

 

Info:

Género: Drama
Duração: 1h35
Classificação: M/16

Ficha Técnica:

Realização – Nicholas Ray
Argumento – Cyril Hume e Richard Maibaum
Direcção de fotografia – Joseph MacDonald
Montagem – Louis R. Loeffler
Música – David Raksin
Produção – James Mason