Próximas Estreias

Voltar
Labirinto Infernal de Luis Buñuel
La Mort en ce Jardin
1956 - França, México - Data de estreia: 28-11-2019
Com: Georges Marchal, Simone Signoret, Charles Vanel, Michel Piccoli, Michèle Girardon, Tito Junco, Jorge Martínez de Oyos, Raúl Ramirez, Luis Ace

Depois de ser anunciado que o Governador proibiu a exploração de diamantes, os mineiros revoltam-se, exigem ser recebidos por ele, mas são detidos pelo exército. Chark, aventureiro oriundo de uma aldeia vizinha, chega em pleno tumulto. Torna-se amigo de Castin, um mineiro que sonha abrir restaurante em Marselha, do padre Lizzardi, que tenta acalmar os ânimos, e de Djin, prostituta que dorme com Chark antes de o denunciar à polícia. Chark foge da prisão e envolve-se na revolta dos mineiros. Perseguidos, Chark e o seu grupo aventuram-se selva adentro. Esgotado, o grupo auto-destroi-se, e só Chark se salva, fugindo com a filha surda-muda de Castin.

Dossier de Imprensa

Biografia do realizador:

LUIS BUÑUEL (Calanda, Espanha, 1900 — Cidade do México, 1983), cineasta e escritor, foi considerado o primeiro a realizar um filme inteiramente surrealista, escrito e realizado em conjunto com o pintor Salvador Dalí, e que seria o seu primeiro filme, UN CHIEN ANDALOU (1929). UN CHIEN ANDALOU só seria possível devido a dinheiro emprestado pela sua mãe. Mas antes de experimentar o trabalho de realização, já tinha pisado os terrenos do cinema quando, no início dos anos 20, trabalha em Paris como assistente do realizador Jean Epstein. 
Segundo Octavio Paz, o trabalho de Buñuel é “o casamento entre a imagem fílmica e a imagem poética, criando uma nova realidade… escandalosa e subversiva”. 

Estreia 28-11-2019
Espaço Nimas
Info:

Género: Aventura, Drama
Duração: 1h 44min
Classificação:

Ficha Técnica:

Realização: Luis Buñuel
Argumento: Luis Buñuel, Raymond Queneau, Luis Alcoriza e Gabriel Arout, baseado no conto homónimo de José-André Lacour
Direcção de Fotografia: Jorge Stahl, Jr.
Décors: Edward Fitzgerala
Guarda-Roupa: Georgette Somohano
Música: Paul Misraki
Som: José D. Pérez e Maurice Laroche
Montagem: Marguerite Renoir, Denise Charvein e Luis Buñuel