Nazarín de Luis Buñuel
Nazarín
1958 - México - Data de estreia: 26-07-2019
Com: Francisco Rabal, Marga López, Rita Macedo, Ignacio López Tarso, Ofelia Guilmáin, Luis Aceves Castañeda, Noé Murayama, Rosenda Monteros, Jesús Fernández

Um padre jovem, Nazarín, vive num bairro pobre da Cidade do México. Beatriz, uma suicida falhada, e Andara, uma prostituta assassina, refugiam-se em casa dele. Tentando apagar provas do seu crime, Andara provoca um incêndio. Nazarín é interrogado pela polícia, e a hierarquia da Igreja censura-o por ter albergado uma criminosa. Persuadido a viver segundo os princípios dos Evangelhos, Nazarin passa a subsistir através de esmolas. Tenta empregar-se mas é expulso pelos operários sindicalizados. Reencontra Beatriz e Andara, que o seguem. Beatriz, apaixonada por ele, foge com El Pinto, enquanto Nazarín e Andara são presos. Mais tarde, uma mulher oferece-lhe um ananás, que ele começa por recusar para, finalmente, aceitar.

Folha de Sala / Dossier de Imprensa

Biografia do realizador:

LUIS BUÑUEL (Calanda, Espanha, 1900 — Cidade do México, 1983), cineasta e escritor, foi considerado o primeiro a realizar um filme inteiramente surrealista, escrito e realizado em conjunto com o pintor Salvador Dalí, e que seria o seu primeiro filme, UN CHIEN ANDALOU (1929). UN CHIEN ANDALOU só seria possível devido a dinheiro emprestado pela sua mãe. Mas antes de experimentar o trabalho de realização, já tinha pisado os terrenos do cinema quando, no início dos anos 20, trabalha em Paris como assistente do realizador Jean Epstein. 
Segundo Octavio Paz, o trabalho de Buñuel é “o casamento entre a imagem fílmica e a imagem poética, criando uma nova realidade… escandalosa e subversiva”. 

Info:

Género: Drama
Duração: 1h 34min
Classificação: M/12

Ficha Técnica:

Realização: Luis Buñuel
Argumento: Luis Buñuel, Julio Alejandro e Emilio Carballido, baseado no romance homónimo de Benito Pérez Galdós
Direcção de Fotografia: Gabriel Figueroa
Cenários: Edward Fitzgerald
Guarda-Roupa: Georgette Somohano
Música: Macedio Alcalá (tema Dios nunca Muere, tocado em órgão) e os tambores de Calanda
Som: José D. Pérez
Montagem: Carlos Savage e Luis Buñuel