Próximas Estreias

Voltar
O Bruto de Luis Buñuel
El Bruto
1953 - México - Data de estreia: 18-07-2019
Com: Pedro Armendáriz, Katy Jurado, Rosita Arenas, Andrés Soler, Paco Martinez, Roberto Meyer, Glorita Mestre

Um proprietário quer expulsar os moradores de um bairro pobre. Organiza-se uma revolta, liderada por Don Carmelo. Para suster a rebelião, contrária aos seus projectos, o proprietário contrata Pedro, dito “O Bruto”, um funcionário do matadouro. O “Bruto” acaba por matar, acidentalmente, Don Carmelo. Procurado pela polícia, o “Bruto” é abrigado pelo proprietário. A mulher deste, Paloma, passa a ser visita frequente da cama do “Bruto”. Mais uma vez em fuga depois de ser reconhecido pelos moradores, o “Bruto” esconde-se em casa de Meche, a filha de Carmelo, por quem se apaixona. Vexada, Paloma diz a Meche que o “Bruto” é o assassino do seu pai, e conta ao marido que o “Bruto” tentou abusar dela. No confronto que se segue, o “Bruto” mata o proprietário, antes de ser morto pela polícia, conduzida por Paloma.

Folha de Sala / Dossier de Imprensa

Biografia do realizador:

LUIS BUÑUEL (Calanda, Espanha, 1900 — Cidade do México, 1983), cineasta e escritor, foi considerado o primeiro a realizar um filme inteiramente surrealista, escrito e realizado em conjunto com o pintor Salvador Dalí, e que seria o seu primeiro filme, UN CHIEN ANDALOU (1929). UN CHIEN ANDALOU só seria possível devido a dinheiro emprestado pela sua mãe. Mas antes de experimentar o trabalho de realização, já tinha pisado os terrenos do cinema quando, no início dos anos 20, trabalha em Paris como assistente do realizador Jean Epstein. 
Segundo Octavio Paz, o trabalho de Buñuel é “o casamento entre a imagem fílmica e a imagem poética, criando uma nova realidade… escandalosa e subversiva”. 

Horários:
Info:

Género: México
Duração: 1h 21min
Classificação: M/12

Ficha Técnica:

Realização: Luis Buñuel
Argumento: Luis Buñuel e Luis Alcoriza, baseado numa ideia de Luis Alcoriza
Direcção de Fotografia: Agustin Jiménez
Décors: Luis Buñuel e Gunther Gerszo
Música: Raul Lavista
Som: James L. Fields
Montagem: Jorge Bustos e Luis Buñuel