Viridiana de Luis Buñuel
Viridiana
1961 - Espanha, México - Data de estreia: 01-08-2019
Com: Silvia Pinal, Francisco Rabal, Fernando Rey, Margarita Lozano, Joaquín Roa, Teresa Rabal, José Calvo, Victoria Zinny, Luis de Heredia, José Manuel Martin

A noviça Viridiana vai visitar o seu tio e benfeitor, Don Jaime. Don Jaime vive sozinho desde a morte da mulher, ocorrida em plena noite de núpcias. Perturbado pela semelhança entre Viridiana e a falecida mulher, Don Jaime quer mantê-la ao pé de si. Com a cumplicidade da criada Ramona, adormece Viridiana e tenta abusar dela durante o sono. Ao saber disso, Viridiana foge. A caminho do convento, recebe a notícia de que o tio se suicidou, e volta para trás. Decide consagrar a vida aos pobres e aos mendigos, que alberga na quinta de Don Jaime, tornando-se no alvo das ironias de Jorge, filho dele. Um dia os mendigos invadem a casa e um deles tenta violar Viridiana. Considerando-se pouco recompensada pela sua devoção, Viridiana junta-se a Jorge e a Ramona para um jogo de cartas.

Dossier de Imprensa

Biografia do realizador:

LUIS BUÑUEL (Calanda, Espanha, 1900 — Cidade do México, 1983), cineasta e escritor, foi considerado o primeiro a realizar um filme inteiramente surrealista, escrito e realizado em conjunto com o pintor Salvador Dalí, e que seria o seu primeiro filme, UN CHIEN ANDALOU (1929). UN CHIEN ANDALOU só seria possível devido a dinheiro emprestado pela sua mãe. Mas antes de experimentar o trabalho de realização, já tinha pisado os terrenos do cinema quando, no início dos anos 20, trabalha em Paris como assistente do realizador Jean Epstein. 
Segundo Octavio Paz, o trabalho de Buñuel é “o casamento entre a imagem fílmica e a imagem poética, criando uma nova realidade… escandalosa e subversiva”. 

Info:

Género: Comédia, Drama
Duração: 1h 30min
Classificação:

Ficha Técnica:

Realização: Luis Buñuel
Argumento: Luis Buñuel e Julio Alejandro, baseado numa ideia de Luis Buñuel
Direcção de Fotografia: José Fernández Aguayo
Décors: Francisco Canet
Música: fragmentos do Requiem em Ré Menor K.626 de Mozart, do Messias de Haendel (Alleluia) e da 9ª Sinfonia de Beethoven, seleccionados por Gustavo Pittaluga
Som: A. Garcia Tijeras
Montagem: Pedro del Rey