24-03-2019

SESSÃO ESPECIAL | O Rei das Rosas de Werner Shroeter

A Sessão Especial RARÍSSIMOS: O REI DAS ROSAS, de Werner Schroeter, no âmbito dos Fins-de-Semana Monumental acontece já no Domingo, dia 31 de Março, pelas 21h30,  no Cinema Monumental

A projecção [cópia 35mm] é seguida de conversa com o actor Diogo Dória, o escritor Paulo José Miranda e o produtor Paulo Branco

Bilhetes à venda!

  20-03-2019

SESSÃO ESPECIAL | A PORTUGUESA, de Rita Azevedo Gomes

Na próxima sexta-feira, 22 de Março, no Espaço Nimas, a sessão das 21h30 de “A Portuguesa”, será muito especial, única e irrepetível: a seguir à projecção, a filósofa Maria Filomena Molder conversará sobre o filme com a realizadora Rita Azevedo Gomes.

  20-03-2019

SALVADOR SOBRAL apresenta PARIS, TEXAS, de Wim Wenders, no cinema MONUMENTAL

Propusemos ao músico Salvador Sobral escolher um filme para apresentar nos fins-de-semana do Monumental. O músico não hesitou e escolheu de imediato “Paris, Texas” de Wim Wenders. É que o seu novo disco, “Paris, Lisboa”, que será lançado na próxima semana, é uma homenagem de Salvador Sobral ao (já clássico) filme de Wenders.

  20-03-2019

SESSÃO ESPECIAL | John McEnroe: o Domínio da Perfeição, de Julien Faraut com Miguel Seabra e convidados especiais

Na quarta-feira, 27 de Março, às 19h15, na última sessão de “John McEnroe: o Domínio da Perfeição, de Julien Faraut”, o Espaço Nimas acolhe Miguel Seabra e várias figuras de relevo no panorama do desporto e do ténis português para uma conversa sobre o filme, um documentário sobre a final de 1984 do torneio de Roland Garros, entre John McEnroe e Ivan Lendl, quando McEnroe era o melhor jogador do mundo. Através de filmes de arquivo de 16 mm das suas actuações no court de Roland Garros, Faraut revela tanto a atenção de McEnroe ao desporto em si como às próprias filmagens, criando um retrato vivo e imersivo de um atleta motivado.

  20-03-2019

HOMENAGEM AO REALIZADOR RUSSO MARLEN KHUTSIEV no Cinema Monumental

Não se pode pensar o cinema hoje sem conhecer o contexto cultural, social, político e artístico da história soviética e o contributo dos realizadores, escritores e teóricos russos. Desapareceu esta terça-feira MARLEN KHUTSIEV, um dos grandes cineastas russos que emprestou à nova arte (de Eisenstein a Shklovsky a Tynyanov) a sua elevada linguagem cinematográfica, transportando-a para o cinema soviético e russo. KHUTSIEV criou um cinema novo, redimensionou o conceito de tempo e temporalidade capturando e traduzindo várias épocas dentro das épocas que viveu nos seus 94 anos.