09-05-2019

Estreia O RIO, de Emir Baigazin

Vencedor do prémio de Melhor Filme LEFFEST'18, O RIO estreia dia 12 de Maio, às 16H00, no Cinema Medeia Monumental.
Na entrega do prémio, a pianista Martha Argerich (membro do júri do festival) afirmou que «O RIO é um filme admirável, com uma expressividade singular, e uma força poética, hipnótica e humana que prendeu o júri desde o primeiro plano.»

  09-05-2019

Estreia AGRADAR, AMAR E CORRER DEPRESSA, de Christophe Honoré

A estrear dia 9 de Maio, este filme foi elogiado pela crítica, que o considerou o mais belo filme de Honoré desde CANÇÕES DE AMOR, herdeiro das tradições dos pólos Godard-Fassbinder e Truffaut-Demy.

Revisitar Paris nos anos 90, diariamente às 19H20, no Espaço Nimas.

 

  09-05-2019

Estreia THE BEACH BUM: A VIDA NUMA BOA, de Harmony Korine

THE BEACH BUM: A VIDA NUMA BOA acompanha as aventuras escandalosas de Moondog, um falhado rebelde que só sabe viver consoante as suas próprias regras.

Com Matthew McConaughey, Snoop Dogg, Isla Fisher, Zac Efron e Jonah Hill entre o elenco, o filme estreia dia 9 de Maio, e pode ser visto diariamente às 21H45, no Espaço Nimas.

  08-05-2019

Ciclo “Uma Espécie de Música: o cinema de Christophe Honoré”

A propósito da estreia em Portugal do seu novo filme, PLAIRE, AIMER ET COURIR VITE / AGRADAR, AMAR E CORRER DEPRESSA (2018), que esteve na Selecção Oficial de Cannes no ano passado (onde Honoré volta a estar este ano; o realizador tem tido presença recorrente no festival) e que foi o vencedor do Prémio Louis Delluc, para o Melhor Filme Francês em 2018, uma tocante história de amor entre dois homens nos anos 1990, sobre um fundo da epidemia da SIDA, uma obra viva e incisiva, entre a leveza e a graça e muitas e comoventes emoções, considerado o seu mais belo filme desde As Canções de Amor, que funde as tradições de que o seu cinema é herdeiro, entre os polos Truffaut-Demy e Godard-Fassbinder, a Medeia Filmes organiza, no Teatro Campo Alegre, entre 9 e 15 de Maio o ciclo “Uma Espécie de Música: o cinema de Christophe Honoré”, com a estreia, em exclusivo, do novo filme, e um “flashback” no qual revisita alguns títulos anteriores do cineasta.

  03-05-2019

Fins-de-Semana no Cinema Monumental: Maio

Homenagem a Manuel Graça Dias. Manuel Graça Dias (1953-2019) gostava de cidades. Do espaço de partilha que representam. Da sua diversidade e polivalência. Das cidades como espaço de liberdade, que construímos em conjunto, fazendo delas “um somatório imenso sobreposto de tantas diferentes cronologias e origens” [Manual das Cidades, ed Relógio d’Água]. Arquitecto, professor, cidadão interveniente, “pensava” em público a arquitectura e a cidade, quer através das colaborações regulares na imprensa escrita e revistas da especialidade, rádio e televisão, ou nos muitos livros que publicou, e, como escrevia o jornal Público, deixou-nos um “legado vibrante”.