Notícias

Voltar
  MAIS SOBRE ESTE FILME >>
28-11-2013

O GRANDE MESTRE, o novo filme de WONG KAR WAI, estreia-se a 12 de Dezembro

O novo filme do cineasta de culto WONG KAR WAI está quase a chegar aos cinemas nacionais. Aclamado internacionalmente desde a sua estreia no FESTIVAL DE BERLIM, onde teve honras de Filme de Abertura, “O Grande Mestre” é uma obra intemporal que atravessa várias décadas da História chinesa pontuada por mais uma inesquecível história de amor criada pelo mestre de Hong Kong.
 
O protagonista de “O Grande Mestre” é Ip Man, o lendário mestre de artes marciais, conhecido internacionalmente por ter treinado Bruce Lee. Mas não foi apenas este aspecto que cativou o realizador: “o Ip Man não era apenas um lutador normal, era alguém com um passado muito rico, quase como um aristocrata do seu tempo.”
 
“É um projecto gigante”. É o próprio Wong Kar Wai que o assume. Tal como assume o facto de não saber quase nada sobre artes marciais antes de avançar para este filme. Quando era criança as escolas de artes marciais estavam à sua volta, nas ruas onde cresceu e por onde passava todos os dias. Mas nunca entrou em nenhuma delas. “Nesse tempo a maioria das escolas de artes marciais estava associada às tríades e eram muito misteriosas. Assim, de certa forma, através deste filme, consegui finalmente atravessar essa porta.”, disse o cineasta de Hong Kong à Indiewire.
 
O filme inicia-se em 1936 e atravessa várias décadas da História chinesa até 1956, traçando uma panorâmica sobre a era tumultuosa que se sucedeu à queda da última dinastia chinesa – um tempo de caos, divisão e guerra, mas também uma época de ouro para as artes marciais. Pelo meio, como não podia faltar numa obra do realizador de “Chungking Express”, desenrola-se uma história de amor entre o protagonista, interpretado por Tony Leung, e a personagem da actriz Zhang Ziyi.
 
Manohla Dargis, do The New York Times, escreveu que descrever o filme como sendo de artes marciais “seria como afimar que “A Aventura” [de Michelangelo Antonioni] é um thriller sobre uma mulher desaparecida.” A mestria de Wong Kar Wai impõe-se ao género cinematográfico. Ou como Serge Kaganski, na Les Inrocks, sugere: “ [“O Grande Mestre”] é também a apologia do exercício e da transmissão da sua arte contra todas as contingências.”
 
Filmado numa série de locais extraordinários, como as paisagens nevadas do Nordeste da China e no clima subtropical do Sul do país, “O Grande Mestre” marca o regresso em grande de um dos maiores cineastas de culto em todo o mundo. Em Fevereiro deste ano abriu o Festival de Cinema de Berlim e chega agora às salas de cinema portuguesas.