Ciclo: «Folheando Serge Daney – Uma História do Cinema»

15.09 26.10

Cinema Medeia Nimas - Lisboa

Assinalam-se 30 anos da morte de Serge Daney (1944-1992), um dos maiores críticos na história do cinema, e não poderíamos deixar de relê-lo e ir ao encontro dos seus trinta anos de “cinécriture”. 


Graças à nossa amizade, pude com ele partilhar ao longo de duas décadas inúmeras conversas e, sobretudo, escutá- -lo na sua paixão pelos filmes, pelos realizadores e pela história do cinema. Foi a partir dos seus escritos e dessas conversas que fiz esta escolha alargada de 50 filmes de cerca de 40 realizadores, e que são exemplo da acuidade, da justeza, e, mais do que isso, da apreciação crítica de Serge Daney. 


Objecto de textos inteiros, como o texto inicial dedicado ao Rio Bravo de Hawks, publicado em 1962 e onde já vamos encontrar muitos dos temas que foi desenvolvendo depois, ou por vezes referidos em apenas três ou quatro frases nos seus textos reunidos no “monumento” em quatro tomos La Maison Cinéma et le monde, estes filmes e cineastas (que vão de Boris Barnet a Nanni Moretti e Gus Van Sant, passando por Hawks, Ford, Lang, Dreyer, Mizoguchi, Hitchcock, Cukor, Nicholas Ray, Renoir, Rossellini, Godard, Straub e Huillet, Duras, Oliveira, Syberberg, e, surpreendentemente, Paul Newman e Stallone, entre outros) deram azo a longas e apaixonadas conversas, livres e cheias de vivacidade, de uma lucidez extrema e muitas vezes mesmo divinatória, com ele e com o nosso amigo comum Jean-Claude Biette. 


L’Exercice a été profitable e aqui os passamos para que os vejamos, com uma energia sempre renovada. 


Paulo Branco