Ciclo Olhares Transgressivos — Cinema Medeia Nimas

12.06 04.07

Cinema Medeia Nimas - Lisboa

É da natureza da arte ser transgressiva, libertar-nos dos limites da nossa prisão, na expressão de Jean-Claude Brisseau, um dos cineastas que integram este ciclo de Olhares Transgressivos no cinema. O que é mostrável? O que é obsceno? “Nos dias de hoje, [em que] a humanidade já mal consegue sair da linha…” (Georges Bataille, As Lágrimas de Eros), vivemos um tempo de explicações superabundantes, que parece querer desactivar a transgressão, o poder desestabilizador da criação artística, o seu potencial de produzir brechas, de provocar a desordem, insubmisso, indomável.


Revisitamos neste ciclo várias obras que desafiaram o instituído, através de uma radicalidade estética, política e sexual, não apenas “transgredindo a lei, mas levando-a com ela” (na expressão de Maurice Blanchot). 


VAI, VAI VIRGEM PELA SEGUNDA VEZ de Kôji Wakamatsu


FEMALE TROUBLE  de John Waters


POSSESSÃO de Andrzej Zulawski


CRASH de David Cronenberg


O TÉDIO de Cédric Kahn


ROMANCE de Catherine Breillat


A PIANISTA de Michael Haneke 


MINHA MÃE de Christophe Honoré 


LADY CHATTERLEY de Pascale Ferran


A VIDA DE ADÈLE de Abdellatif Kechiche 


NINFOMANÍACA – Parte 1 e 2  de Lars von Trier 


QUE O DIABO NOS CARREGUE de Jean-Claude Brisseau


CLÍMAX de Gaspar Noé














01.07.2021
quinta-feira
13:30
  1. Crash

    de David Cronenberg
    Cópia Digital Restaurada 4K
    • 1996 | 
    • 1h 40min | 
    • M/18
    James Spader, Holly Hunter, Elias Koteas, Deborah Kara Unger