Ciclo "Visões do Extremo Oriente"

23.05 10.06

Cinema Medeia Nimas - Lisboa

Herman Hesse, um dos muitos escritores fascinados pelo Oriente escreveu em viagem: “O nosso destino não era apenas o Oriente, ou antes: o nosso Oriente não era apenas um país ou qualquer coisa de geográfico: era a síntese de todos os tempos”. O cinema, a síntese de todas as artes, é a arte que mais nos aproxima desta ‘síntese’ de tempos (e lugares). E nós começámos uma viagem ao Extremo Oriente com Ozu no final do ano que passou, continuámos com Mizoguchi e Kurosawa, e, entre os novos, com Hamaguchi, a quem dedicaremos também este mês uma grande retrospectiva, com inéditos, e Wong Kar Wai, ou No Interior do Casulo Amarelo, do vietnamita Thien An Pham, ainda em cartaz. Propomos agora continuá-la com 22 filmes, em “Visões do Extremo Oriente”.


Muitos destes filmes são hoje raramente projectados em sala e esta será uma oportunidade rara para visitar obras e cineastas de diferentes gerações e países. ‘Visões do Interior’, da China ao Japão, da Coreia do Sul a Taiwan. E ainda 6 ‘Visões do Exterior’, que revelam o fascínio colectivo que desde a Ilíada se gerou por estas paragens mais longínquas que outras terras.