As Verdadeiras Mães

de Naomi Kawase

com Hiromi Nagasaku, Arata Iura, Ayama Makita, Miyoko Asada

  • True Mothers | 
  • 2h 20min | 
  • M/12 | 
  • 2020 | 
  • estreia 24.12.2020

sinopse

Um casal recorre a uma associação sem fins lucrativos para iniciar um processo de adopção. Em breve, acolhem no seu lar Asato, uma criança nascida de um amor adolescente. Seis anos mais tarde, a mãe biológica de Asato reaparece na vida da família, depois de perceber que não quer ser apagada da vida do seu filho. Poderosa adaptação visual de um romance de Mizuki Tsujimura, o mais recente filme da aclamada cineasta japonesa Naomi Kawase retrata a adopção através de uma nova luz, criando uma história tão comovente como desconcertante. True Mothers foi nomeado o candidato japonês à Categoria de Melhor Filme Internacional nos Óscares de 2021.

  • 2020 | 
  • Drama | 
  • Longa-metragem | 
  • 2h 20min | 
  • M/12 | 
  • Japão

estreia 24.12.2020

festivais e prémios

Festival de Cannes

Label Cannes 2020


TIFF – Toronto International Film Festival

Special Presentations


San Sebastian International Film Festival

Selecção Oficial em Competição

crítica e imprensa

  • O calor da abordagem do filme (...) reflete-se no uso da luz. Ambas as capturas, internas e externas, são marcadas por uma brilhante luz do sol dourada, que por sua vez cobre tudo com um toque subliminar de esperança e otimismo.

    • Wendy Ide, Screen Daily
  • (…) o filme brilha com beleza e tristeza, apesar da sua duração, e a experiência da realizadora japonesa como fotógrafa e documentarista traz um naturalismo delicado a este conto realista sobre o arrependimento de uma jovem por ter abandonado o seu filho anos após o facto.

    • Ryan Lattanzio, Indie Wire
  • O trabalho de câmara é bonito de ver, independentemente do que for filmado: os exteriores da cidade são profundamente harmoniosos, enquanto os interiores reflectem a ordem tranquila da vida familiar japonesa (…). A montagem de Tina Baz e Yoichi Shibuya, que desempenha um papel tão importante em contar a história fora da sequência, tem um ritmo lento e deliberado, mas sempre claro.

    • Deborah Young, The Hollywood Reporter
  • As marcas visuais de Kawase estão visíveis. Ela foge constantemente da acção para capturar planos diáfanos de flores de cerejeira e árvores manchadas de sol, e várias cenas são banhadas pela luz translúcida da manhã ou do final de tarde. Cada hora parece ser a hora mágica.

    • James Hadfield, The Japan Time

biografia do realizador

Naomi Kawase é uma realizadora japonesa nascida em 1969. A sua carreira começou com uma série de documentários autobiográficos, aos quais se seguiu a primeira longa-metragem Moe no suzaku (1997). Este filme valeu-lhe a Câmara de Ouro no Festival de Cannes e o título de cineasta mais jovem a receber este prémio. Em 2007, o filme Mogari valeu-lhe o Grande Prémio do Júri no Festival de Cannes. Para além de realizadora, Naomi Kawase é também fundadora do Nara International Film Festival.

ficha técnica

Hiromi Nagasaku

Arata Iura
Ayama Makita
Miyoko Asada


Realização: Naomi Kawase

Argumento: Naomi Kawase, Izumi Takahashi (co-argumentista) com base em Asa ga kuru de Mizuki Tsujimura

Produtor Executivo: Naoya Kinoshita

Produtor: Yumiko Takebe

Chefe de produção: Hiroaki Saito

Música: Akira Kosemura

Fotografia: Yuta Tsukinaga, Naoki Sakakibara

Luz: Yasuhiro Ota

Som: Elji Mori, Roman Dymny (desenho de som), Olivier Goinard (mistura)

Direcção de Arte: Setsuko Shiokawa

Montagem: Tina Baz, Yoichi Shibuya

Distribuição: Leopardo Filmes

próximas datas