Detesto o Amor

de Laurence Ferreira Barbosa

com Jeanne Balibar, Jean-Quentin Châtelain, Laurent Lucas

  • J'ai horreur de l'amour | 
  • 2h 10min | 
  • M/12 | 
  • 1997 | 
  • estreia 06.03.1998

sinopse

Annie Simonin, médica de medicina geral, tenta enfrentar a realidade entre um perseguidor hipocondríaco que a ameaça de morte e um jovem seropositivo que se recusa a lutar pela vida e a quem ela tenta não decepcionar.

  • 1997 | 
  • Comédia, Drama | 
  • Longa-metragem | 
  • 2h 10min | 
  • M/12 | 
  • França

estreia 06.03.1998

festivais e prémios

Festival de Cannes 1997 – Prémio da Juventude

Prémios César 1998 – Prémio de Melhor Actriz Revelação para Jeanne Balibar (nomeação)

biografia do realizador

Depois de terminar o curso de cinema na universidade Paris VIII, e graças ao GREC (Groupement de Recherche et d’essais Cinématographiques), Laurence Ferreira Barbosa iniciou a sua carreira no cinema em 1982, com a curta-metragem Paris-Ficelle, bastante bem-recebida e com a qual obteve o prémio especial do júri no Festival de Belfort.


Seguiram-se duas outras curtas-metragens, igualmente premiadas, Adèle Frelon est-elle là?, Grande Prémio no Festival de Clermont-Ferrand, seguida por Sur les talus, nomeada para os Césares em 1987. Paralelamente, foi assistente de realização de Laurent Perrin e Michèle Rosier.


Em 1993, realizou a sua primeira-longa metragem, As Pessoas Normais Não Têm Nada de Especial (Les gens normaux n’ont rien d’exceptionnel), retrato emotivo e divertido de uma jovem depressiva, internada num hospital psiquiátrico. Esta primeira obra, produzida por Paulo Branco, conquistou a crítica e o público, e revelou uma jovem actriz, Valeria Bruni-Tedeschi, que partilhou o protagonismo com Melvil Poupaud, e que com este filme recebeu o César para Melhor Esperança Feminina. Este filme esteve em Competição no Festival de Locarno, estreou com sucesso em vários países e obteve vários prémios.


No ano seguinte, foi convidada pela ARTE para realizar um dos volumes da série Tous les garçons et les filles de leur âge, com o qual ganhou o prémio do Público no Festival de Belford. E se a questão da relação com a norma já era o tema central da sua primeira longa-metragem, regressa a ele na segunda, Detesto o Amor (J’ai horreur de l’amour), de 1997, também pela mão de Paulo Branco, filme com o qual ganhou o prémio do melhor filme revelação francês, no Festival de Cannes. A personagem central é protagonizada por Jeanne Balibar, uma médica perturbada por dois pacientes, um hipocondríaco e outro seropositivo.


De seguida, e com o mesmo produtor, lançou-se num projecto mais ambicioso, a sua terceira longa-metragem, La Vie moderne (2000), no qual segue, em paralelo, o destino de três personagens em crise, um deles protagonizado por Isabelle Huppert.


Depois de em 2001, ter realizado mais um telefilme para a ARTE, Motus, em 2004 realiza uma adaptação do romance do americano Westlake, Ordo, protagonizada por Marie-Josée Croze, no papel de uma actriz misteriosa. Integralmente filmada em Portugal, esta obra foi selecionada para a Competição do Festival de Locarno.


Quatro anos mais tarde, regressa com Ou Morro, ou Fico Melhor (Soit je meurs, soit je vais mieux), uma crónica sobre a adolescência que explora os limites entre a realidade e a fantasia, selecionado para o Festival de Londres e para o Festival de Moscovo.


Laurence Ferreira Barbosa é igualmente co-autora do documentário português Volta à Terra (2014), de João Pedro Plácido, vencedor do Prémio de Melhor Longa-metragem, Portuguesa no Doclisboa, e selecionado e premiado em dezenas de festivais internacionais de cinema.

ficha técnica

Jeanne Balibar

Jean-Quentin Châtelain

Laurent Lucas

Bruno Lochet

Patrick Catalifo

Alexandra London

Eric Savin

Luc Moullet


Realização: Laurence Ferreira Barbosa

Argumento: Laurence Ferreira Barbosa, Denyse Rodriguez-Tomé

Produtor: Paulo Branco

Fotografia: Emmanuel Machuel

Montagem: Emmanuelle Castro, Marie-France Poulizac

Design de produção: Yves Fournier

Guarda-roupa: Nathalie Raoul

Som: Philippe Morel

Distribuição: Leopardo Filmes