Cinema Medeia Nimas. Uma adesão surpreendente, várias sessões esgotadas.

Dois meses depois da reabertura, continua a ser surpreendente a enorme adesão dos espectadores à programação do cinema Medeia Nimas.

Continuamos a viver um período especial e inédito nas nossas vidas, e que também se reflecte na relação das salas de cinema com os espectadores e destes com as salas. Adoptamos e cumprimos escrupulosamente todas as medidas de segurança sanitária em vigor, o que implica, nomeadamente, a redução para metade da lotação da sala de forma a manter-se a distância física recomendada, a diminuição do número de sessões (com o reforço da limpeza e desinfecção dos vários espaços do cinema entre sessões), a disponibilização de gel desinfectante à entrada do cinema e da sala, a obrigatoriedade do uso de máscara dentro das instalações do cinema, mesmo no decorrer das sessões. Para que assim possamos assistir aos filmes com a máxima segurança, protegendo os espectadores que nos visitam, protegendo os nossos funcionários.


Com uma programação diversificada (estreias, ciclos em exclusivo, cópias novas, filmes em contexto, sessões especiais…) anunciada mensalmente, através do jornal “cinema Medeia Nimas”, de distribuição gratuita, no nosso site (recentemente renovado) e das redes sociais, a primeira semana

(6 a 12 de Agosto) de exibição deste terceiro mês de programação teve, de novo, números excepcionais, com 1379 espectadores e várias sessões esgotadas (realçamos que o “novo” esgotado é metade da sala). Somos seguramente a sala que em Portugal tem a melhor taxa de ocupação, e, pelas notícias que temos lido na imprensa europeia, e pelos ecos que nos têm chegado, também na Europa.


A Medeia Filmes agradece a todos os espectadores que têm vindo a assistir às sessões ao longo destes dois meses, e que mantiveram a sua confiança nas nossas propostas e no nosso trabalho. E que, pelo seu lado, cumprindo as medidas sanitárias em vigor, transmitiram a confiança aos outros espectadores, resguardando a saúde de todos.


Nas próximas 3 semanas desta programação, destacamos:


já a partir do dia 14 de Agosto, o ciclo “A Nova Vaga Inglesa”, um dos acontecimentos cinematográficos deste Verão, que nos dá a ver, em cópias restauradas, 9 filmes de 5 dos cineastas (Lindsay Anderson, Tony Richardson, Karel Reisz, Richard Lester e Alexander Mackendrick) que nos anos 60 revolucionaram o cinema inglês, trazendo-o para as ruas, com personagens jovens como os seus realizadores, que se confrontavam com a realidade do dia-a-dia da Inglaterra de então e participavam activamente nela. Receberam vários prémios, entre eles duas Palmas de Ouro em Cannes. Alguns são inéditos comercialmente em sala em Portugal (ver programa completo em medeiafilmes.com). No próximo domingo, 16 de Agosto, às 16h30, o realizador António-Pedro Vasconcelos apresentará a obra-prima de Mackendrick Tempestade na Jamaica;


continua o ciclo “Essencial Fellini”, com cópias restauradas das obras-primas do grande Mestre do cinema italiano. Depois de La Dolce Vita, veremos ainda A Estrada, Fellini 8½ e Julieta dos Espíritos;


a Medeia Filmes organizou ainda o ciclo “Um Verão Italiano”, com obras emblemáticas dos grandes cineastas italianos, quase todos em cópias digitais restauradas: restauros 4K de O Leopardo de Visconti e Aconteceu no Oeste de Sergio Leone (numa homenagem ao grande compositor Ennio Morricone); e ainda Blow Up de Antonioni, Decameron, de Pasolini, O Ouro de Nápoles de De Sica, Era Noite em Roma, de Rossellini e Amarcord, de Fellini (já esta noite, 13 de Agosto, às 21h30, em cópia 35mm);


o ciclo Revisitar Ingmar Bergman, que propõe a revisitação de 6 das grandes obras de Bergman, também em cópias digitais restauradas;


e, no dia 20 de Agosto, a estreia de Adam, o premiado filme da realizadora marroquina Maryam Touzani, belíssimo e intenso, “uma ode às mulheres”, como escreveu o New York Times, “um filme a precisar de ser feito, tão belo e tão necessário” (Les Inrocks).


Consulte o jornal aqui.