Estreia | OUTONO ESCALDANTE & A RAPARIGA DA MALA de Valerio Zurlini

Do ciclo Os Grandes Mestres do Cinema Italiano chegam-nos hoje duas obras incontornáveis do cinema de Valerio Zurlini: A RAPARIGA DA MALA e OUTONO ESCALDANTE chegam ao grande ecrã em cópias digitais restaurada 4K.

A RAPARIGA DA MALA é o filme mais célebre de Zurlini, um cineasta profundamente moderno, com uma aura particular entre os grandes do cinema italiano, a par de um Antonioni ou de um Pasolini. Claudia Cardinale, que aqui revela a sua sensualidade e beleza selvagem, é sublime no papel de Aida, uma jovem mãe solteira que canta para ganhar a vida. Encontra Lorenzo, um homem-criança de 16 anos, filho da grande burguesia (Jacques Perrin, que se tornaria actor fetiche de Zurlini), que lhe oferece o seu amor, escondendo-lhe ser irmão do amante que acabara de a abandonar. É um encontro de duas solidões, habitado pelas primeiras angústias amorosas, pelo peso da fatalidade social, e, ao mesmo tempo, por um forte instinto de sobrevivência das personagens.


Para ver no Cinema Nimas, em Lisboa, e no Teatro Campo Alegre, no Porto.


OUTONO ESCALDANTE, uma das obras fundamentais do cineasta italiano, produzida e interpretada por um magnético Alain Delon, num dos melhores papéis da sua carreira, o de um professor substituto, apaixonado pela arte e pela literatura, que chega a Rimini em pleno Inverno. E é nesta estação balnear deserta e fantasmática, brumosa e lamacenta, filmada soberbamente pela câmara de Dario di Palma, por onde vemos deambular Delon, que o professor Daniele Domicini se apaixona por uma aluna frágil e sedutora, com um nome de ressonâncias stendhalianas. La prima notte di quiete, no título original que cita um verso de Goethe, é uma espécie de poema melancólico, com uma delicadeza sombria, que pinta um vazio existencial à procura de um sentido. E Zurlini faz da sétima arte a chave de uma pureza perdida. Bela como o “je t’aime” que Delon murmura no cais da gare de Rimini (Frédéric Strauss).


Em exibição no Cinema Nimas, em Lisboa, e no TAGV de Coimbra.