Paulo Branco, uma aventura na programação (ontem como hoje)

«O Action République, uma sala de cinema parisiense, muda de direcção e de gerência e tenta lutar contra a crise do cinema fazendo do público um “interlocutor privilegiado”» Lia-se na primeira página do jornal Le Monde a 8 de Outubro de 1977. Paulo Branco programava o ciclo “L’Occupation et la Résistance” que incluía filmes pouco vistos dos anos 40, de realizadores como Roberto Rossellini ou Mark Donskoi.

Duas semanas mais tarde, no mesmo jornal, um longo artigo de Jean Narboni, um dos maiores críticos franceses, sublinhava: “A sala estúdio Action République propõe, por iniciativa da sua nova equipa de programação, comandada por Paulo Branco, uma retrospectiva quase integral das produções, para muitos inéditas, de Godard a partir do ano de 1967”.


Capa Le Monde - 8 de Outubro de 1977