Onoda, 10 000 Noites na Selva

de Arthur Harari

com Yûya Endô, Kanji Tsuda, Nobuhiro Suwa, Issei Ogata

  • Onoda, 10 000 nuits dans la jungle | 
  • 165' | 
  • 2021 | 
  • estreia 03.03.2022

sinopse

Épico de guerra dirigido pelo francês Arthur Harari, Onoda, 10 000 Nuits dans la Jungle inspira-se na história real de Hiroo Onoda (1922-2014), um oficial japonês da inteligência do Exército Imperial japonês que combateu nas Filipinas durante a Segunda Guerra Mundial e que passou quase 30 anos nas selvas da ilha de Lubang após o fim do conflito, nunca se convencendo de que a guerra tinha terminado. Foi o penúltimo soldado japonês a dar baixa, em março de 1974. Arthur Harari constrói um respeitável épico de guerra sobre uma personagem que pode ser vista de vários ângulos (ou como uma figura polifacetada e contraditória), sendo para uns um herói e um resistente que se recusou a submeter-se aos invasores ocidentais e para outros um louco delirante que matou inocentes enquanto travava uma guerra santa imaginária.

  • 2021 | 
  • Drama | 
  • Longa-metragem | 
  • 165' | 
  • Camboja, França, Itália, Japão, Bélgica

estreia 03.03.2022

festivais e prémios

Festival de Cannes – Un Certain Regard

biografia do realizador

Arthur Harari nasceu em 1981 em Paris e é realizador, argumentista e ator. Após duas curtas e uma média-metragem, dirige a sua primeira longa-metragem, Diamant Noir, um thriller de vingança familiar ambientado no mundo dos diamantistas e joalheiros antuerpianos. Onoda – 10 000 Nuits dans la Jungle foi o filme de abertura da secção Um Certain Regard na edição deste ano do Festival de Cannes.

ficha técnica

Yûya Endô

Kanji Tsuda

Nobuhiro Suwa

Issei Ogata


Argumento: Arthur Harari, Vincent Poymiro

Director de Fotografia: Tom Harari

Produção: Bathyshpere Productions, To Be Continued