Estreias | A FLOR e CONTOS DE UM VERÃO NEGRO

Estreiam esta quinta-feira, dia 5 de Agosto, no Cinema Medeia Nimas, A FLOR, de Mariano Llinás, e CONTOS DE UM VERÃO NEGRO, dos realizadores Damiano e Fabio D’Innocenzo.

A Flor, longa-metragem de Mariano Llinás, dividida em oito partes, trata-se de uma aventura épica filmada ao longo de 10 anos, que homenageia a história do cinema e a narrativa labiríntica (ao estilo de Jorge Luís Borges), através de seis histórias em oito actos (ou partes), para ver em conjunto ou separadamente. Cada uma é inspirada num género distinto: a primeira é uma espécie de série B, como os americanos as filmavam; a segunda é um musical, com um toque de mistério; a terceira trata-se de um filme de espionagem; a quarta história é uma meta-narrativa experimental, ao longo da qual as quatro protagonistas interpretam actrizes que se insurgem contra o realizador e a sua intrincada estrutura narrativa; a quinta constitui uma homenagem a Jean Renoir; por fim, a sexta história, passada no século XIX, é sobre mulheres cativas que regressam do deserto dos índios, após vários anos. 


As oito partes estarão em exibição, entre os dias 5 e 25 de Agosto, no Cinema Medeia Nimas, em Lisboa.


Contos de Um Verão Negro, de Damiano e Fabio D’Innocenzo, tem lugar num subúrbio de Roma, durante o Verão. Vencedor de um Urso de Prata no Festival de Berlim, na categoria de Melhor Argumento, este filme vem chamar a atenção para dois novos autores do cinema italiano, dotados de uma linguagem original e visceral. Nas casas, pátios e jardins, o silêncio e a inércia dos adultos, frustrados ou indiferentes, são absorvidos pelas crianças, alienando-as e cristalizando-as num limbo de revolta dormente. É uma obra que reflecte o premente vazio existencial da sociedade contemporânea, tendo como pano de fundo as dinâmicas disfuncionais, de poder e submissão, que caracterizam as relações entre pais e filhos. 


Estará em exibição no Cinema Nimas, em Lisboa, entre os dias 5 e 31 de Agosto.