Programação Cinema Medeia Nimas - 9 de Julho a 5 de Agosto

A programação do Cinema Medeia Nimas, 9 de Julho a 5 de Agosto, já se encontra disponível - no nosso site renovado e redes sociais, e também numa publicação em papel disponível a partir de hoje no Nimas.

Destacamos, desde já:


- as estreias de “Convidado de Honra”, o novo filme de Atom Egoyan que fez parte da Selecção Oficial em Competição da última edição do festival de Veneza (9 de Julho), “As Maravilhas de Montfermeil”, de Jeanne Balibar, da selecção oficial de Locarno (23 de Julho) e “A Flor da Felicidade”, de Jessica Hausner, em Competição na edição de 2019 do Festival de Cannes, onde recebeu o prémio para a Melhor Actriz (Emily Beecham), e também em Competição na última edição do LEFFEST (30 de Julho);
 
- a continuação do ciclo “O ‘Roman Porno’ da Nikkatsu”, com quatro estreias inéditas e a re-programação dos filmes que vimos ao longo das últimas três semanas e que tiveram grande sucesso crítico e de público;
 
- as últimas oportunidades para ver as obras-primas da segunda fase do ciclo “25x Buñuel”;
 
e ainda várias sessões especiais:
 
- uma mostra de filmes “A Propósito do Racismo e da Escravatura”, onde veremos várias obras de ficção que, ao longo das últimas décadas, abordaram estas questões e cuja discussão é necessária e fundamental, como “Malcolm X”, de Spike Lee; “12 Anos Escravo”, de Steve McQueen; “Django Libertado”, de Quentin Tarantino; “Palavra e Utopia”, de Manoel de Oliveira; “Sementes de Violência”, de Richard Brooks, “O Sargento Negro”, de John Ford, “Beloved” de Jonathan Demme, que adapta o romance homónimo da escritora Tony Morrison, “To Kill a Mockingbird”, de Robert Mulligan, entre outros (algumas das sessões serão apresentadas por convidados a anunciar; haverá também um debate);
 
- e, no contexto da estreia da actriz Jeanne Balibar como realizadora, “As Maravilhas de Montfermeil”, organizamos o ciclo “Jeanne Balibar ― A Actriz, num Piscar de Olho(s)”, com títulos como “Detesto o Amor”, de Laurence Ferreira Barbosa, “O Estádio de Wimbledon”, de Mathieu Amalric e “Três Pontes sobre o Rio”, de Jean-Claude Biette.
 
Consulte o jornal aqui.